Blog‎ > ‎

Zumbido no seu ouvido? Não ignore!

postado em 3 de jun de 2019 12:09 por Tiago Morandi   [ 3 de jun de 2019 12:10 atualizado‎(s)‎ ]
Esse sintoma pode indicar desde infecções no canal auditivo até tumores. Quando saímos de um ambiente com música alta, no qual ficamos muito tempo expostos a decibéis acima dos considerados saudáveis para o canal auditivo, às vezes apresentamos um zumbido no ouvido, bem parecido com o chiado de um mosquitinho ou um apito incomodando sem parar.



Quando saímos de um ambiente com música alta, no qual ficamos muito tempo expostos a decibéis acima dos considerados saudáveis para o canal auditivo, às vezes apresentamos um zumbido no ouvido, bem parecido com o chiado de um mosquitinho ou um apito incomodando sem parar.

Pode parecer normal, mas na verdade esse sintoma, em boa parte das vezes, indica um quadro inicial ou já está associado à perda auditiva por causa de maus hábitos, como nosso costume de ouvir música alta (em especial nos fones de ouvido), ou da poluição sonora.

É preciso estar atento ao zumbido porque ele pode ser um sinal precoce de outras condições que não estão diretamente ligadas ao órgão auditivo.

Doenças Relacionadas:

Quando o problema não está no ouvido, encontrar a causa do zumbido pode ser a parte mais difícil para o profissional de saúde, já que o sintoma se associa desde doenças relativamente simples até enfermidades graves.

A anemia, a diabetes, a pressão alta, os problemas renais e do sistema circulatório são exemplos de condições que atrapalham a microcirculação do ouvido e causam o zumbido. Se não controladas, podem inclusive resultar na perda total da audição. 

Outras desordens metabólicas, que envolvem o triglicérides, o colesterol ou os hormônios tireoideanos também podem provocar esse chiado, assim como problemas na articulação da mandíbula, trauma craniano e até alguns tipos de tumores cerebrais. Paciente que abusam do uso de medicamentos tóxicos ao ouvido, chamados de ototóxicos, como a aspirina, os antibióticos, anti-inflamatórios e os remédios diuréticos, também ficam mais suscetíveis a desenvolver o sintoma.

Todos os casos precisam de atenção médica imediata para evitar complicações na saúde geral e/ou prejudicar a saúde auditiva de forma definitiva. Além disso, quando o zumbido é constante e não tratado, pode atrapalhar o sono e a concentração do paciente, e afetar até mesmo as emoções, gerando casos de depressão, ansiedade e pânico.

Tratamentos:

Atualmente, é possível acabar com essa sensação incômoda com medicamentos, aparelhos auditivos ou outras especificações recomendadas pelo médico.  A adoção de alguns hábitos saudáveis é a principal medida para que não haja a piora do sintoma. 

Entre os hábitos, é fundamental uma alimentação saudável, incluindo a diminuição do açúcar, controle do consumo de cafeína e bebidas alcoólicas, bem como o estresse, e evitar o tabaco e a exposição frequente a sons intensos.

Se você apresenta um quadro constante de zumbido no ouvido, agende uma consulta com um médico que atua na área de otorrinolaringologia agora mesmo. 
Comments